quinta-feira, maio 08, 2008

UM PACIFICADOR NOS TEMPOS DA VIOLÊNCIA

"Se queremos ser pacificadores, você e eu precisamos ter uma sólida disciplina de oração..."
Henry Nowen (A vida na casa do amor)

Estamos vivendo em tempos onde a violência em todos os sentido cresce sumariamente.
violência contra as pessoas,
contra os valores familiares,
contra os valores cristãos,
contra tudo que rege ordenadamente a sociedade em geral.
Nunca na história da sociedade moderna, houve tanta falta de amor e paz.
As famílias são atacadas ordenadamente pelo imediatismo, pelo sexo sem valor emocional, pela falta de respeito ao próximo.
Hoje em dia se declarar como um cristão tem sido motivo de chacota entre os jovens, ou muitas vezes, vivendo uma vida de duplo sentido.
Nunca também se falou tanto de Paz, em se buscar a Paz, nestes tempos.
Jesus mesmo disse, que no fim dos tempos o mundo falaria de paz, mas não haveria paz.
A grande perda de valores da vida, tem sido jogadas ao esmero, pelo imediatismo, pelo consumismo, pelo ódio religioso, etc.
Famílias tem sido destruídas, por causa da perca dos verdadeiros sentimentos de pacificação.
Ninguém mais quer caminhar pela estrada da Paz.
Jesus Cristo disse:
"Bem-Aventurados, os pacificadores porque eles serão chamados filhos de Deus" Mateus 5:9.
Jesus explana sua indicação sobre aqueles que em tempos de violência, são dignamente soldados da pacificação, os verdadeiros filhos de Deus.
Cada cristão sincero é chamado para ser um pacificador, aquele com humildade de coração, luta contra estes tempos de depravação humana.
Cada dia mais constante no mundo belicista em que vivemos, onde pais matam filhos e filhos matam pais, onde pessoas se suicidam em nome de uma religião, onde a exploração sexual chega a níveis aberrantes.
Um pacificador luta contra a ridicularizarão da Fé, onde a bíblia é cada vez mais explanada como objeto de delírio humano.
Mas aqueles que vivem pela fé no Deus da bíblia, tem um realização diferente, sempre tem a certeza de sua verdadeira vitória.
aqueles que vivem pela fé, vivem a certeza cada vez maior que as coisas de Deus, são loucura para os homens.
A humanidade grita por Paz, mas não encontra
Porque a verdadeira paz, somente podemos encontra-la em Jesus Cristo.
Com humildade de coração, encontramos a pacificação justa, para lutar contra o mundo, cada vez mais maligno.
Porque somos justificados pela fé, temos paz com Deus. (Romanos 5:1).
Assim o chamado de pacificação vem a cada cristão como um mandamento de amor, para ser sal diante deste mundo insípido em que vivemos.

Glória ao eterno Deus

segunda-feira, maio 05, 2008

PL122/06 - restrições a liberdade religiosa

PL 122/06: mobilização contra restrição à liberdade religiosa

Com o fim do recesso parlamentar por conta das festas de fim de ano e do Carnaval, o Congresso Nacional começa a retomar os trabalhos que ficaram parados. Isso inclui o trâmite de votação do PLC 122/06, que está novamente prestes a ser apreciado pela Comissão de Direitos Humanos do Senado.

Faz parte da estratégia usada pelos senadores (e também por deputados e vereadores) a falta de transparência na agenda dos trabalhos legislativos – o que impede que o povo conheça com antecedência o que está para ser votado, e portanto, não consiga se mobilizar em tempo.

No dia 19/03/2008, o PLC 122/06 quase chegou a ser votado pela Comissão de Direitos Humanos do Senado. Mas a relatora Fátima Cleide (PT-RS) – que é uma das principais defensoras da aprovação da lei de homofobia tal como está – resolveu tirá-lo da pauta, provavelmente pela falta de quórum para a sua aprovação.

Corre à boca pequena que existiria um acordo para que um senador pedisse novamente vistas do processo, ou seja, um prazo maior para avaliação.

Ocorre que essa é uma ferramenta geralmente usada para ganhar tempo. Na prática, por causa da falta de transparência na agenda, o relator espera o dia mais apropriado, ou seja, que tenha mais senadores favoráveis ao projeto, para colocá-lo em votação.

Desse modo, diversas leis que interferem diretamente na vida dos cidadãos são aprovadas. E foi exatamente assim que o projeto foi aprovado na Câmara dos Deputados, em uma sessão esvaziada, quando a bancada evangélica estava ausente.

Muitos deputados à época não criam na aprovação de uma lei tão absurda que fere a liberdade de pregação da Bíblia Sagrada (leia mais), entre outros pontos. Mas o projeto chegou ao Senado e, se aprovado, dali seguirá direto para a sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que já se manifestou ser a favor.

É por esses motivos que conclamamos todos os cidadãos a se engajarem em uma ampla mobilização para exigir a participação maciça dos 36 senadores que integram a Comissão de Direitos Humanos nas reuniões que vão definir o futuro do projeto no Senado. Só assim poderemos garantir que manobras de última hora não sejam usadas por ativistas defensores do projeto.

Lembre-se: nossa liberdade religiosa, de interpretação e pregação – não apenas de trechos bíblicos como também do Alcorão e da Torá – podem sofrer um “cala boca”.

Se o PLC 122/06 for aprovado como está, você poderá assistir pastores, padres, rabinos e xeiques presos. A realidade da Igreja Perseguida pode se tornar a realidade da Igreja Brasileira. Sem contar que seremos obrigados a “contrabandear” Bíblias cujo original não foi censurado!

Clique aqui para saber o endereço e o telefone dos 36 senadores e ver uma sugestão de modelo de carta.

Tsuli Narimatsu
Jornalista da Portas Abertas

Entenda toda a polêmica e o risco que os brasileiros estão correndo por meio do PLC 122/06 e do PL 6418/2005 aqui!

Modelo de carta: "Senador, hora de voltar ao trabalho!"

Pai nosso em Hebraico/Aramaico

O 'Pai Nosso' nas línguas originais.

O aramaico é provavelmente mais fiel ao original.

Aqui vão:

Em Hebraico:
Avinu ShabaShamayim
(Nosso Pai Celestial)

Yikdash Shmecha
(Que o Teu Nome seja Venerado)

Tavo Malchutecha
(Que o Teu Reino venha)

Ye'aseh Retzonechah
(Que a Tua Vontade seja feita)

Kmoh VaShamayim Ken Baaretz
(No Céu e também na Terra)

Es Lechem Chukeinu Ten Lanu Hayom
(Dá-nos hoje o nosso pão diário)

U'Slach Lanu Es Chovateinu Kaasher Salachnu
(E perdoa nossos débitos como perdoamos)

Gam Anachnu LaChayaveinu
(também os nossos devedores)

V'al Tvi'einu Lidey Nisayon
(E não nos conduza à tentação)

Ki Im Chaltzeinu Min Harah
(Mas livra-nos do maligno)

Ki L'chah haMamlachah
(Pois Teu é o Reino)

V'hagvurah
(E o poder)

V'hatiferet
(E a glória (ou beleza))

L'almei olamim
(para sempre)

Amen


Em Aramaico:
avoon d-vashmayo
(Nosso Pai Celestial)

Nethqadash shmokh
(Santo é o Teu Nome)

u-Tithe malkoothokh
(Permita que o Teu Reino venha)

u-Nehwun tsevyonokh
(E Permita que tua vontade seja feita)

b-Ar'a aykh d-vashmayo
(Na terra, da mesma forma que no céu)

u-Lekhmen emina
(E o nosso pão constante)

d-Yéwma hév lén
(Diário nos dá)

u-Shvuq len khewbeyn
(E perdoa-nos os nosso pecados)

Eykena d-af enkhnen
(Como nós também)

Nshveqen l-kheyaveyn
(Temos perdoado pecadores )

U-la teythin l-nesyuna
(E não permita a tentação)

Ela petsan men bisha
(Apenas nos salve no mal)

Meghul d-dhilakh hi mélkutha
(Pois Teu é o Reino)

u-Theshbukhta
E a glória

l-'Alem 'almin.
Para sempre em nossa eternidade

Emin.
(Amem)