quarta-feira, agosto 04, 2010

Tempos em Tempos

Mesmo que a semente tenha sido plantada
muitas vezes a decepção vem antes da felicidade
Não conseguimos caminhar na estrada sem olhar para trás
Não conseguimos ir em frente sem levar vários tropeços

Mesmo que como Baudolino eu nunca consiga chegar ao reino do Preste João
a ilusão e o cansaço farão de mim um verdadeiro passo de trapo
e a tristeza e a doença não me farão ficar esticado pois eu tenho um sonho
e a estrada fará de mim uma rocha.

Eu não quero ficar agachado mesmo que esteja com dores paralisantes
Eu quero seguir em frente pois a minha fé me da forças para continuar a estrada
Os pedregulhos ainda tentam me machucar
A religião ainda me taxa como desagregado pois eu em minha teimosia
faço estardalhado com a imperfeição humana de fundamentalizar a vivência da fé

Mesmo que a minha infância não tenha conhecido o menino de pijama listrado
as diferenças da sociedade pós-moderna me fizeram cicatrizes profundas do preconceito racial, da desilusão profissional, do pêndulo economico, e de tantas desilusões.

A estrada da ilusão é fantástica, pois fazem você viver grandes emoções
Afinal quanta propaganda, quanta ilusão de que nunca atingir aquilo que nunca seremos, mas temos como padrão de vida.
Um imenso abismo desta vida.

Mas eu vou caminhando, tendo a certeza de que eu vou chegar ao reino
mesmo que a estrada esteja difícil
A fé e o amor serão meus verdadeiros companheiros

Eu vou...