quarta-feira, abril 29, 2009

Demonstração

A estrada é muito íngreme, longa e tortuosa
difícil de acessar, mas o reconforto esta em seu final.
Assim é a caminha da fé, pois somente ela produz boas obras de um cristianismo verdadeiro.
Dentre todos os aspectos da sociedade pós-moderna onde ninguém mais pode ser livre para opinar, apenas ser levado pelas ondas da sociedade.

Apesar de assistir pouca televisão, um comercial de um modelo de carro Ford (se não me engano é o focus ( já tem um tempo que ele foi exibido), me fez despertar para algo em que caracteriza a nossa face nos dias atuais.
Em que a suprema maioria das pessoas eram um corpo normal com a uma cabeça de televisão que eram manipuladas por um mecanismo.
enquanto que uma minoria era livre para andar por onde queriam.

Não comprei um focus, mas achei o comercial bem interessante por externar a face dos dias em que estamos vivendo, em todos os campos da vida e da sociedade.

Um coisa esta bem clara nos dias de hoje, as pessoas gostam e pedem para serem manipuladas, seja em casa, vide televisão, entretenimento, etc.
No campo da religião tem se visto um agravante bem atenuado neste ponto.
As massas são facilmente manipuláveis e quando alguém pensa por si próprio é amplamente execrado.

Vide desde tempos remotos, como nos dias de Jesus em que os lideres, principalmente a linha dos fariseus, em que imprimiam costumes e leis humanas onde até a Torah se calava para ter as pessoas em suas mãos.
Muitos lideres da igreja hoje são até pior do que os lideres fariseus, muitas de suas condutas e regras fariam daqueles verdadeiros inocentes.

Cristo veio como um cordeiro santo, para que seu sangue nos redimisse de nossas iniquidades e nos levasse a um nível de humildade e humanidade elevas, para que o mundo olhasse para igreja e visse discípulos de um novo reino.

Mas o que se ve e o que se externa é em muitos casos até deprimente, a história esta repleta de casos em que muitos deixaram a fé por um mar de escândalos e incorrecções de lideres em que muitas vezes não eram homens de verdadeira fé, mas apenas pastores escolhidos por mãos humanas.

Lideres que montam verdadeiros impérios, que quando um pobre ou viuvá lhes estende as mãos, eles aos menos lhes dão um pedaço que cai no chão.
Assim até seus liderados como irão se comportar?
Somos espelho de quem nos comanda, mas quando conseguimos entender que nosso verdadeiro comandante é Cristo somos capazes de vender as riquezas e dividir com os aparentados da fé.
Pois foi assim que a igreja primitiva se comportava.

Vivemos hoje a ênfase na fé de resultados, pois as massas amam isto
Vivemos hoje a ênfase na teologia da prosperidade, afinal quem não gosta de dinheiro?, mas saibam que estão é enriquecendo lideres e não o reino do ceús que não precisa de dinheiro.
Vivemos hoje a ênfase no estrelismo gospel, onde ser sucesso é o mais importante e não mais cumprir um chamado, afinal tem shows em igrejas mais caro que show secular.

Infelizmente o desespero religioso esta tomando conta da igreja, afinal são convenções sobre igreja com propósitos, empresarial, disto e daquilo.

Se esquecemos de pregar a palavra de Deus, de dar um verdadeiro testemunho de vida, este sim o maior fator de um verdadeiro cristão, pois palavras podem ser jogadas ao vento e um bom exemplo fica por toda uma vida.

Hoje a igreja esta cada vez mais escancarada para os costumes mais tolerantes do mundo,
infelizmente uma verdade que esta a porta de todos.
A tristeza maior é que cada vez menos aparecem pensadores na igreja, apenas cópias de tudo que vem da igreja americana, pois é cult.
Tudo que vem de fora é abraçado no Brasil, como a mais nova revelação do Espírito Santo para a igreja.
Ainda que as Escrituras nos dizem que o chamado é pessoal e cada lugar tenha um contexto cultural pessoal e intrinsecamente ligado a uma geração e não um todo.

John Stott um grande pensador anglicano escrever seis fundamentos evangélicos, que a igreja moderna tem se esquecido dele, são eles:

1 - A supremacia da Escritura Sagrada ( em virtude de sua inspiração única e exclusiva).
2 - A majestade de Jesus Cristo 9o Homem-Deus que morreu como sacrifício pelos pecados).
3 - O senhorio do Espírito Santo (que desempenha uma série de ministérios vitais).
4 - A necessidade de conversão (um encontro direto com Deus que somente Deus pode efetuar).
5 - A prioridade da evangelização ( na qual o testemunho é uma expressão de culto).
6 - A importância da comunhão ( por ser a igreja essencialmente uma comunidade de crentes atuante)

(A verdade do Evangelho: um apelo a unidade)

Infelizmente parece que estamos vivendo num tempo que estes fundamentos tem sido deixados de lado por uma glamorização da religião.
Onde ser crente é ser cult e não ser servo.

Jesus agora é dez,
Jesus é UP,
Deus é fiel
Infelizmente a igreja tem se esquecido que Deus é santo, e somente os puros de coração verão a Deus.
Devemos nos questionar se o cristianismo que estamos vivendo é realmente aquele que Jesus chamou para sermos o sal desta terra insípida.

Um comentário:

Polêmica disse...

Oi Sandre.

Concordo com você em gênero, número e grau.
Não gosto desses cultos dos empresários, culto dos solteiros, balada gospel, entre tantas outras modas que andam surgindo no meio do cristianismo.
Eu acho que todos os cultos devem ser doutrinários e de adoração à Deus, não deveria ser cultuado a prosperidade financeira, mas hoje em dia existe até culto da prosperidade, e como você bem disse, culto com interesses empresariais.
Desde muito pequenininha, desde criança, meu pai me alertava sobre a teologia da prosperidade, sobre dentes de ouro, etc...
Eu também acredito que muitos líderes da igreja manipulam as pessoas, e elas querem ser manipulados, elas querem ouvir que Deus fará tudo o que elas querem, mas devemos pregar a verdade, pregar que nada acontecerá que Deus não quiser, ensinar que temos que ser submissos à vontade Dele. Talvez essa palavra não seduza tanto as pessoas, mas temos que pregar o evangelho verdadeiro e o Espírito Santo cuidará de tocar e convencer as pessoas.

Eu já fui de uma igreja que o pastor nos ensinava que não podíamos trocar de igreja, tínhamos que ser fiel a nossa denominação. Mais uma maneira de manter o crente na igreja para pegar as contribuições financeiras dele.
Mas eu aprendi com minha mãe que Deus não veio buscar placa de igreja.

Eu não gosto que fiquem chamando os crentes de 'ladrões' mas infelizmente isso que eu falei acontece, é triste para mim que sou crente ter que admitir isso.

Beijos