quinta-feira, outubro 02, 2008

A expressão e o testemunho

Vivemos no meio cristão, uma caracterista da atitude pós-moderna, do imediatismo e expressão.
O imediatisto expressionista da razão, onde se colocam as nuanças vitoriosas da vida, independente de um testemunho de vida.
Vale mais ter um carro importado como testemunho de vida vitoriosa, do que ter uma vida caracterizada pelo boa vivencia e carater respeitoso como cristão.
Se eu vou para igreja de terno novo comprado em griffe, vão me olhar como um vitorioso, Se eu tenho uma expressão linguistica correta, eu sou vitorioso.
Não depende do que eu faça para isso, mesmo que tenha enganado alguém, é assim que vivo.

Minha familia vai comigo para igreja, então sou um exemplo de cristão, posso até ser convidado para ter um cargo, afinal vivemos um tempo de barganha.
Independente das escolhas e felicidade da minha familia, se eles estão comigo é sinal de respeito, afinal eu escolho e eles obedecem.

Eu sou um grande contribuinte do ministério, porque o meu dinheiro é a carta de entrada ministérial, posso até receber um titulo de pastor, afinal, meu dinheiro é mais importante do que a refelexão da minha vida.

Dou uma grande contribuição, tenho um ótimo carro, uma boa casa, então eu sou um vencedor, minha familia, minha igreja me admiram, afinal minha expressão é de felicidade eterna.

Deus esta sempre comigo, porque eu sou abençoado, o meu testemunho é o que eu tenho.

Só ia me esquecendo de uma coisa, minha profissão:

Sou especulador (esteleonatario de colarinho branco), eu ganho dinheiro com a desgraça dos outros, afinal é licito, então foi Deus quem me deu.

Deus salve a igreja brasileira

2 comentários:

GLADIADOR disse...

Valeu Sandre, seu texto é muito bom.

João Ferreira da Costa

sandre disse...

Obrigado gladiador